quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

SALMOS, HINOS E CÂNTICOS ESPIRITUAIS - QUAL A SUA UTILIDADE NO CULTO?

Até mesmo entre os grandes estudiosos das Escrituras entre eles João Calvino e Hendriksen reconhecem que as passagens bíblicas de Efésios 5: 19 e Colossenses 3: 16 no que tange ao significado mais especifico do que vem a ser salmos, hinos e cânticos espirituais não podem dar muita informação. E, sei que por isso tem havido divergência concernente a caracterização do que se deve cantar no culto solene. Só podemos cantar os textos inspirados da Bíblia, neste caso os salmos apenas, ou, podemos cantar outras variedades de canções e hinos que são considerados avulsos?

Contudo, se atentarmos ao texto especialmente de Efésios 5: 19, vamos perceber que Paulo menciona o uso dos salmos, hinos e cânticos espirituais não para tratar necessariamente do que cantar no culto solene. Parece-me que os leitores de Paulo já sabiam muito bem o que deveriam usar na adoração pública. Neste caso Salmos, hinos e cânticos espirituais. Certo? Para mim parece muito claro a distinção que o apóstolo Paulo faz. Mas, mesmo que este assunto seja tratado em outro momento, a pergunta a ser feita é: QUAL A UTILIDADE DOS SALMOS, HINOS E CÂNTICOS ESPIRITUAIS?

Em primeiro lugar, Qual é a exortação de Paulo aos seus leitores (Ef. 5: 16-21) ? "Em vez de vocês buscarem alegria e sentido a vida na bebedice e em prazeres que são destrutivos e viciosos, alimentem o coração de vocês com a Palavra de Deus. Existe outra coisa melhor para isso do que louvor? Então conversem e cantem a Palavra de Deus" Toda a problemática está no padrão de vida que os crentes deveriam ter diferente da sociedade de Éfeso que era idólatra, promíscua e dada a bebedice em seus festivais religiosos.

Veja algo importante. O modo como vivemos na terra está diretamente ligado ao nosso culto a Deus. A relação que Paulo faz dos salmos, hinos e cânticos espirituais é mais do que oportuna. O significado do culto é agradar e satisfazer a vontade de Deus. Deste modo, o que mais poderia agradar a Deus senão a obediência que Ele requer de nós? Por esse motivo, Paulo mesmo diz: "procurai compreender qual a vontade do Senhor (versículo 17)."

Dito isto, voltemos ao versículo 19. Qual é a utilidade dos salmos, hinos e cânticos espirituais? Veja o que Paulo declara: "falando entre vós com salmos, entoando e louvando de coração ao Senhor com hinos e cânticos espirituais." A música por meio desta classificação (salmos, hinos e cânticos espirituais) nos envolve com a Palavra de Deus.

 A música é o meio pelo qual podemos ter o deleite pessoal. Talvez seja a arte que mais eleva o homem interiormente. Isto significa que Deus nos dá como ordem adora-lo não apenas com a racionalidade nua e crua, mas também com as emoções. Não que isto seja obrigatório. O que quero dizer é que, O ser humano não precisa ser forçado a isto. Naturalmente somos atraídos pelos sons em sua estrutura (melodia, harmonia e ritmo). Somos seres musicais. isto faz parte da nossa natureza. O que, na verdade precisa ser direcionado é o modo e a motivação com que usamos as nossas emoções através da música especialmente na adoração cristã.

Geralmente, quando ouvimos uma melodia, ou qualquer estilo musical o que nos chama mais atenção não é a letra ou o seu conteúdo, mas a estética que ela apresenta. E é este o perigo que poderíamos comparar com a preocupação de Paulo em relação ao modo como os efésios buscavam prazer e satisfação.

Diana era a uma espécie de deusa matrona da cidade de Éfeso. Na cultura grega especialmente nesta cidade era comum os efésios procurarem os sacerdotes e sacerdotisas de Diana para suas oferendas principalmente com práticas de orgias, banquetes e vinho oferecidos a Diana. Parece-me que a musica regada com muito vinho eram elementos fundamentais para despertarem uma alegria exacerbada e sem limites.

O que Paulo instrui aos crentes efésios é um modelo totalmente contrário a religiosidade pagã dos cidadãos de Éfeso. Observe as comparações. Sejam sábios em vez de néscios, Não sejam insensatos, mas busquem a vontade de Deus. Não busquem alegria na bebedice e no vinho contaminado com a desordem e o caos, mas conservem o equilíbrio conversando sobre os salmos, louvando a Deus com hinos e cânticos espirituais.

A música genuinamente cristã tem como objetivo elevar nossas emoções a Palavra de Deus de maneira sensata e comedida. E aqui está o porque Deus nos ordena o uso da musica no culto solene. O culto tem um caráter público. A adoração solene deve ser feita diante de todos, crentes e ímpios, para que Deus seja glorificado e anunciado. O modo como demonstramos a nossa satisfação e alegria em Cristo deve ser declarado na adoração pública. De alguma forma, quando cantamos a Palavra de Deus anunciamos as pessoas que o modo de vida cristão nos leva a genuína alegria. Uma alegria que perdura e nos traz estabilidade emocional e espiritual. É muito melhor do que a alegria que o vinho da contenda (originalmente alegria sem limites) pode produzir em uma pessoa.

O culto expressa a nossa identidade cristã diante dos homens. Por isso Deus deve ser adorado conforme Ele mesmo determinado em Sua Palavra. A música como elemento cúltico é o exprimir de nossos sentimentos com entendimento e sabedoria e por meio da musica invocamos o nome de Deus, confessamos os nossos pecados, declaramos a majestade de Deus e fixamos em nossa mente as  verdades contidas na Sua Palavra.

A música evangélica no modelo contemporâneo tem se tornado o vinho em que há libertinagem (sentido original da palavra "contenda"). A música cristã contemporânea tem causado tanto descontrole emocional e mental nas pessoas que tem sido difícil distinguir esse tipo de adoração extravagante com o fuzuê e a bebedeira de um boteco ou barzinho de esquina no dia de jogo do campeonato brasileiro no final de tarde de um domingo.

Mais uma vez, fica a comparação já que o domingo sendo o dia do Senhor deveria ser dedicado a alegria e o prazer em Cristo, acaba que sendo profanado pelo comportamento louco dos ímpios. Pior que isto, é o que tem acontecido dentro das igrejas e os cultos solenes. Não consigo ver diferença nestes dois pontos. Ambos ofendem a Deus e a sua majestade.

Sendo assim, o que deve ser destacado no texto é o modo como os cristãos naquela cidade deveriam buscar o verdadeiro prazer. A música é aqui indicada por Paulo como um recurso extraordinário na busca pelo verdadeiro prazer da vida. Todo crente deve agir com ações de graças em se deleitar com a Palavra de Deus. Duas ações simples. Conversem e cantem a Palavra! Isto é maravilhoso. Em vez de se envolver com atividades e coisas mundanas, os crentes devem expressar sua alegria no Senhor Jesus conversando e cantando a Palavra de Deus.

Creio que isto de início esclarece a utilidade dos Salmos, hinos e cânticos espirituais no culto a Deus.


Nenhum comentário:

Postar um comentário